A arte de dizer não: ancore sua posição em um grande sim

Um dos maiores especialistas do mundo em negociação, Dr. William Ury, escreveu um ótimo livro sobre a arte de dizer não. Dizer não, com técnica e consciência, de acordo com minha experiência profissional lidando com essa palavra há muito tempo, em muitos lugares, é algo tão valioso quanto incompreendido. Nos sentimos muito mal dizendo “não” ...

Alerta: esteja presente durante o primeiro aperto de mão.

Sou classificado entre o grupo dos extremamente distraídos. Por esse motivo  estou em esforço constante para me manter no momento presente. Pessoas normais habitam o presente em cerca de 50% do tempo pois a alternância entre estarmos aqui e agora ou em qualquer outro momento imaginário é uma característica inerente à mente humana. A distração ...

Não faça como o Hitchcock: em comunicação, vá direto ao ponto

É difícil encontrar profissionais que tenham o hábito de passar sua mensagem indo direto ao ponto. O formato pode variar de uma apresentação até um telefonema, não importa. Raras são as pessoas que escapam da armadilha de “contar a história antes” de dizer o que precisam. A dica de hoje da Harvard Business Review é ...

PowerPoint: vivo ou morto

Está na moda em corporações satanizar o PowerPoint: o pobre software é culpado pela falta de preparo e técnica de quem os usa. É como criticar uma tela em branco pelo resultado final da pintura. Já ouvi mais de uma vez que determinada empresa tinha abolido o PowerPoint. Houve até comemoração. “Agora sim, vamos poder ...

Neuroapresentações: respeite a mente de quem decide

Testemunhei vários assassinatos de boas idéias e carreiras por desrespeito ao funcionamento do cérebro de quem decidia. Apresento um  caso dos mais interessantes pois é muito, muito frequente. Assisti um  executivo comercial  experiente apresentar para o chefe de seu chefe seu plano de ação para virar o jogo em sua região que apresentava resultados muito ...

Neuromarketing: o que você vai fazer?

Aconteceu. Centenas de pessoas com dezenas de eletrodos em suas cabeças são estudadas diariamente para que empresas e governos entendam melhor as mentes de consumidores, eleitores e ... inimigos.  Neurocientistas em conjunto com executivos de marketing estudam as diferenças entre cérebros de crianças, adolescentes, idosos, mulheres, homens e mulheres grávidas com alguns objetivos claros: consumo e ...

Neurociência dos conflitos: nosso lado animalesco

Em uma discussão, quando as pessoas ficam cada vez mais próximas e  curiosamente falam cada vez mais alto, elas demonstram que estão caminhando para a perda total das capacidades que nos diferenciam de um babuíno enfurecido. A dinâmica de um conflito é claramente dependente das emoções das partes. Seja com um filho, namorado, chefe ou ...

Neuronegociação: acalme a amígdala cerebral com jeitinho

A última campanha presidencial americana ofereceu um exemplo interessante para quem curte a dimensão emocional da negociação ou persuasão. O estado da Flórida é importante para as eleições presidenciais e a equipe do então candidato Barack Obama  percebeu um problema por lá: havia um grande grupo de judeus idosos, cerca de 200 mil, que escolheram ...

Neuronegociação: netos que pacificam presidentes

Os mais famosos especialistas destacam que em negociações, é essencial gerenciar emoções, nossas e dos outros. Apesar disso, é comum que as pessoas ignorem isso e negociem em “piloto-automático”. Um exemplo interessante e aplicável do poder do uso inteligente da emoção em negociações envolveu Estados Unidos, Israel e Egito. Segundo o presidente Carter, foi a ideia ...

Apnéia corporativa

Neuroperformance: respiração para executivos Passamos muito tempo em modo de combate, aquela perspectiva armada e atenta que caracteriza boa parte dos executivos que conheço. Nesse estado queremos perceber qualquer ameaça com antecedência. Esse estado afeta nosso padrão respiratório. A respiração reflete nossos estados mentais. Pessoas tensas respiram de forma especialmente incorreta e produzem um estado ...